Fato e Ficção Sobre Drogas

Um tema que costuma gerar muita polêmica e ser tratado simplesmente com base em mito, preconceito e religião é o das drogas. Essa falta de racionalidade no debate causa um desserviço muito grande à sociedade, na medida em que decisões que deveriam ser basicamente de saúde pública e baseadas em evidências acabam distorcidas por julgamentos morais dúbios e simples desinformação.

Nessa coluna o Ben Goldacre descreve um incidente que exemplifica muito bem o problema. Em resumo, ele relata os achados de um ‘report’ do WHO (World Health Organization) do início dos anos 90 que investigou o uso global da cocaína e que chegou a conclusões muito interessantes.

“Problemas de saúde advindos do uso de substâncias legais, particularmente o álcool e o tabaco, são maiores que os problemas advindos do uso da cocaína,” foi o que disseram. O report prossegue atacando vários princípios que regem a proibição e foi extremamente crítico da maioria das políticas americanas. Ressaltou que políticas de proibição e punição podem de fato aumentar os problemas de saúde. Aconselhou que mais pesquisas sejam feitas sobre os efeitos adversos da proibição e encorajou a adoção de medidas mais humanas como educação, tratamento e reabilitação.

Surpreendentemente, esse report nunca foi publicado. Dois meses após darem uma prévia à imprensa, durante a 48º Assembléia Mundial de Saúde, o representante dos EUA no WHo ameaçou retirar o financiamento americano de todos os projetos de pesquisa e intervenções a menos que o WHO se dissociasse das conclusões desse estudo e cancelasse sua publicação. Até o hoje para o WHO esse documento não existe, mas uma cópia ‘vazada’ dele se encontra no site do think thank Transform.

Pesquisadores britânicos recentemente se propuseram a reclassificar as drogas de acordo com a evidência existente de seus males a saúde. O resultado (que pode ser visto nesse vídeo da BBC), causou supresa ao classificar o ecstasy como menos nocivo que o álcool, entre outros.

Em 2001 Portugal descriminalizou o uso e posse de heroína, cocaína, marijuana, LSD e outras drogas ilícitas. Cinco anos depois o número de mortes por overdose caiu de 400 para 290 ao ano, e o número de novos casos de HIV causados por injeção de substâncias ilegais baixou de 1400 no ano 2000 para 400 em 2006.

O lobby cristão nos EUA é muito forte e foi no governo George Bush que encontrou o seu maior aliado. O mundo todo sofreu as consequências. Está mais do que na hora de basearmos nossas políticas em evidências e deixar a religião, a histeria e o preconceito para trás.

Update 30/05/2011: Vídeo muito bom sobre o constante fracasso da guerra às drogas.

Sobre André Luzardo

Holds a BSc in Mathematics from the University of Edinburgh. PhD researcher in Computer Science at City University London. Interested in computational models of Behaviour, Learning and Interval Timing. Skeptic activist. Follow me on Facebook @ndrluzardo. Matemático pela University of Edinburgh. Doutorando em ciências da computação na City University London. Pesquisador nas áreas de percepção temporal, aprendizado e modelagem computacional do comportamento. Ativista cético nas horas vagas. Siga-me no Facebook @ndrluzardo.

Publicado em 26/03/2010, em drogas e marcado como , , . Adicione o link aos favoritos. 2 Comentários.

  1. Informações muito interessantes, gostei do post.

  2. Tenho uma postagem em meu blog que também exploro o tema:
    http://sociocidio.wordpress.com/2012/08/21/a-descriminalizacao-das-americas/

%d blogueiros gostam disto: