Fato e Ficção Sobre Drogas

Um tema que costuma gerar muita polêmica e ser tratado simplesmente com base em mito, preconceito e religião é o das drogas. Essa falta de racionalidade no debate causa um desserviço muito grande à sociedade, na medida em que decisões que deveriam ser basicamente de saúde pública e baseadas em evidências acabam distorcidas por julgamentos morais dúbios e simples desinformação.

Nessa coluna o Ben Goldacre descreve um incidente que exemplifica muito bem o problema. Em resumo, ele relata os achados de um ‘report’ do WHO (World Health Organization) do início dos anos 90 que investigou o uso global da cocaína e que chegou a conclusões muito interessantes.

“Problemas de saúde advindos do uso de substâncias legais, particularmente o álcool e o tabaco, são maiores que os problemas advindos do uso da cocaína,” foi o que disseram. O report prossegue atacando vários princípios que regem a proibição e foi extremamente crítico da maioria das políticas americanas. Ressaltou que políticas de proibição e punição podem de fato aumentar os problemas de saúde. Aconselhou que mais pesquisas sejam feitas sobre os efeitos adversos da proibição e encorajou a adoção de medidas mais humanas como educação, tratamento e reabilitação.

Surpreendentemente, esse report nunca foi publicado. Dois meses após darem uma prévia à imprensa, durante a 48º Assembléia Mundial de Saúde, o representante dos EUA no WHo ameaçou retirar o financiamento americano de todos os projetos de pesquisa e intervenções a menos que o WHO se dissociasse das conclusões desse estudo e cancelasse sua publicação. Até o hoje para o WHO esse documento não existe, mas uma cópia ‘vazada’ dele se encontra no site do think thank Transform.

Pesquisadores britânicos recentemente se propuseram a reclassificar as drogas de acordo com a evidência existente de seus males a saúde. O resultado (que pode ser visto nesse vídeo da BBC), causou supresa ao classificar o ecstasy como menos nocivo que o álcool, entre outros.

Em 2001 Portugal descriminalizou o uso e posse de heroína, cocaína, marijuana, LSD e outras drogas ilícitas. Cinco anos depois o número de mortes por overdose caiu de 400 para 290 ao ano, e o número de novos casos de HIV causados por injeção de substâncias ilegais baixou de 1400 no ano 2000 para 400 em 2006.

O lobby cristão nos EUA é muito forte e foi no governo George Bush que encontrou o seu maior aliado. O mundo todo sofreu as consequências. Está mais do que na hora de basearmos nossas políticas em evidências e deixar a religião, a histeria e o preconceito para trás.

Update 30/05/2011: Vídeo muito bom sobre o constante fracasso da guerra às drogas.

Sobre André Luzardo

Holds a BSc in Mathematics from the University of Edinburgh and a PhD in Computer Science from City, University of London. Postdoc researcher at Boston University, Interested in computational models of Behaviour, Learning and Interval Timing. Skeptic activist. Follow me on Facebook @ndrluzardo. Matemático pela University of Edinburgh e PhD em ciências da computação pela City, University of London. Pesquisador postdoc nas áreas de percepção temporal, aprendizado e modelagem computacional do comportamento. Ativista cético nas horas vagas. Siga-me no Facebook @ndrluzardo.

Publicado em 26/03/2010, em drogas e marcado como , , . Adicione o link aos favoritos. 2 Comentários.

  1. Informações muito interessantes, gostei do post.

  2. Tenho uma postagem em meu blog que também exploro o tema:
    http://sociocidio.wordpress.com/2012/08/21/a-descriminalizacao-das-americas/

%d blogueiros gostam disto: