Possibilianismo (?)

Apareceu isso no site da Newscientist hoje. Notei que tem surgido uns defensores do “meio-termo” no debate entre religião e ciência, e que em sua maioria são cientistas. Esse cara, David Eagleman, é um neurocientista no Baylor College of Medicine e que não se considera ateu. Basicamente o argumento dele pode ser resumido da seguinte forma:

(a) A ciência deve estar sempre aberta a investigar toda e qualquer possibilidade;

(b) As religiões apresentam várias possibilidades;

(c) O ateísmo nega as possibilidades abertas pela religião.

Logo, cientistas devem estar abertos a essas possibilidades e não se considerar ateus.

O meu problema é com (b). Eu não consigo encontrar nenhuma possibilidade interessante o suficiente na religião pra considerar digna de estudo científico. Ele mesmo não cita nenhuma. Ele menciona possibilidades não religiosas como essas:

What if we were planted here by aliens? What if there are civilisations in spatial dimensions seven through nine? What if we are nodes in a vast, cosmic, computational device? Wouldn’t that make their debates seem limited, in retrospect?

O que que essas coisas tem a ver com religião? São questões válidas, bem diferente das opções religiosas, como deuses com aparência humana criando pessoas do barro, cobras falantes, milagres, revelações, etc. Não acho que cientistas ateus desconsiderem possibilidades quando elas são realmente possibilidades. Eles simplesmente não ficam perdendo tempo com asneira.

Update: Deixa eu clarificar a minha posição pois acho que não ficou bem clara. A ciência se ocupa de investigar hipóteses que sejam, pelo menos em princípio, falsificáveis. As religiões oferecem uma mistura de asserções não-falsificáveis com algumas falsificáveis. Coisas como a existência ou não de um deus imaterial ou de um dragão invisível não são falsificáveis por definição. As poucas que poderiam ser falsificáveis como curas milagrosas, relatos da criação do mundo e da espécie humana, poder da reza, materialização de espíritos, etc, já foram desbancadas há muito tempo. Claro, as religiões podem continuar inventando novas hipóteses, e na medida que elas forem falsificáveis serão naturalmente alvo da ciência. Porém eu acho muito difícil que as religiões que existem hoje consigam gerar qualquer hipótese falsificável interessante. A ciência é cumulativa, e conforme ela avança as hipóteses vão se tornando cada vez mais complexas. Como podemos esperar que alguém elabore alguma hipótese interessante baseado apenas nos conhecimentos de tribos analfabetas da idade do bronze?

Sobre André Luzardo

Holds a BSc in Mathematics from the University of Edinburgh. PhD researcher in Computer Science at City University London. Interested in computational models of Behaviour, Learning and Interval Timing. Skeptic activist. Follow me on Facebook @ndrluzardo. Matemático pela University of Edinburgh. Doutorando em ciências da computação na City University London. Pesquisador nas áreas de percepção temporal, aprendizado e modelagem computacional do comportamento. Ativista cético nas horas vagas. Siga-me no Facebook @ndrluzardo.

Publicado em 27/09/2010, em ateísmo e marcado como , , . Adicione o link aos favoritos. 4 Comentários.

  1. Patrícia Pauli

    Pois é, houve uma época que quase defendi essa idéia. Mas se pensar direito: isso é INCONCEBÍVEL! De fato, se as pesquisas científicas se voltarem para esses mitos sobrenaturais religiosos, já abre possibilidade pra investigar a veracidade de elefantes coloridos voadores, fadas-madrinhas que colocam dinheiro no lugar do dente-de-leite embaixo do travesseiro, a bruxa de blair, os gnomos, os smurfs e tudo mais que o IMAGINÁRIO HUMANO permitir. Muito tempo perdido para a ciência!!

  2. “…já abre possibilidade pra investigar a veracidade de elefantes coloridos voadores…”. Peraí. Por que não existiriam elefantes coloridos voadores? KKKKKKKKKKKKK
    É totalmente possível a existência de algo do tipo. E não seria algo sobrenatural. Existe algo sobrenatural?
    Se levarmos em conta nossa experiência e o conhecimento contido na ciência, acumulado na área da evolução e da Biologia em geral, e o conhecimento a respeito das leis que governam a nossa parte no Universo, não há muito o que impedir que algo assim exista. Sendo ainda mais drástico, COM CERTEZA devem existir INFINITOS elefantes coloridos voadores, pois não há nada que impeça que isso seja fato. Claro, para isso precisamos considerar o quanto o nosso Universo é vasto e a existência de outros Universos. Devemos então falar de possibilidades, e estas podem ser quantificadas de acordo com o nosso conhecimento a respeito da natureza.
    “Não acho que cientistas ateus desconsiderem possibilidades quando elas são realmente possibilidades. Eles simplesmente não ficam perdendo tempo com asneira.”
    Ah, manolo… Fala sério. Se existe a possibilidade, por que seria asneira? As possibilidades são baixas de acordo com o que podemos alcançar durante certo período, e por isso ele (o cientista) escolhe não investir seu tempo nisso. Caso contrário, ele seria o asno, pois não estaria contribuindo efetivamente no acúmulo de um conhecimento útil (nesse intervalo de tempo, pois também não existe por que um conhecimento ser eternamente inútil). Mas a ideia do elefante colorido voador jamais será uma asneira. Coitado do bicho.

  3. Cara, adorei a resposta acima.

    Que imagem vocês fazem de ciência heim????????

  4. Será que a Ciencia pode “explicar” tudo? Então por que tantas teorias?

%d blogueiros gostam disto: